Professores participantes

A primeira série de formações (2019) envolveu 100 professores (75 do sexo feminino) de todos os graus de ensino, predominando os do Secundário (92), sendo na sua maioria professores-bibliotecários. Mais de metade lecionava Português (44) e História (11). Os restantes lecionavam em áreas diversas, como: Inglês (8) Educação Visual (8), Informática (7), Biologia (5), Geografia (4), Física e Química (2), Música (2), Francês, Espanhol, Filosofia, Educação Física e Educação Moral e Religião Católica.

A tendência para a diversidade em termos de áreas de formação dos formandos manteve-se na segunda fase de formação, iniciada em fevereiro, com uma turma nos Açores (sete escolas de cinco ilhas), que decorre na Ilha do Pico, e continuada em março, com professores de cerca de 40 escolas, em sete cidades de Portugal Continental. As oito oficinas de formação vão ser concluídas online, até final do ano de 2020.

Entre setembro e dezembro de 2020 decorrem também duas oficinas de formação, totalmente online, destinadas a docentes do Pré-escolar e do 1º Ciclo, que contam com 30 formandos e formandas (15 por turma, que corresponde ao número máximo permitido). Estas duas oficinas marcam uma inovação do projeto ‘Literacia para os Media e Jornalismo’ e resultam de um aditamento aprovado pelo CCPFC, que permite alargar a oficina de formação àqueles dois níveis de ensino.

Estas duas oficinas estão marcam ainda uma parceria com o projeto “Academia de Cidadania Digital”, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e implementado pela Cooperativa de Ensino Universitário (CEU), em parceria com o Agrupamento de Escolas de Caneças e com a União de Freguesias de Ramada e Caneças, no concelho de Odivelas.

Projetos interdisciplinares

Estratégias de combate à desinformação, organização de conferência de Imprensa, a criação e (re)dinamização de jornais e rádios (em articulação com rádios locais) e televisões escolares, um documentário sobre indisciplina e autoridade na escola ou novas iniciativas de informação e comunicação nas redes sociais (Instagram), foram alguns dos projetos apresentados, por docentes e alunos, no Encontro Nacional Literacia para os Media e Jornalismo, em setembro de 2019, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Os projetos de Literacia dos Media, desenvolvidos em escolas desde o Porto a Faro e de Lisboa à Guarda, estão marcados pela naturalidade com que as várias áreas disciplinares são envolvidas, não por pressão dos formadores, mas pelas necessidades identificadas, no seu curso, por alunos e docentes. Como referiu António Granado, formador do projeto LMJ, “encontrámos aquilo que eu esperava, ou seja, professores que agarram os projetos com bastante força e que se dedicam àquilo que fazem, desenvolvendo atividades muito interessantes, mesmo com poucos recursos”.

As apresentações mostraram ainda a importância da colaboração e cooperação entre alunos, entre docentes, entre alunos e docentes e de outros profissionais em presença na escola e na comunidade, designadamente os encarregados de educação. Os projetos coordenados pelos docentes foram, em vários casos, também liderados pelos alunos, abrindo caminho à autonomia e criatividade, à assunção da responsabilidade, resolução de problemas e ao desenvolvimento do sentido crítico. Os docentes destacaram, finalmente, a flexibilidade dos projetos e a necessidade de os jornalistas continuarem a dar apoio aos projetos após a formação.

AS AÇÕES DE FORMAÇÃO

O grupo que se juntou em Évora para formação durante o projeto-piloto (2019) trabalhou em conjunto sobre os problemas de indisciplina na escola
Évora 2019

Em Évora juntaram-se professores de diversos agrupamentos escolares do Alentejo, cobrindo uma área geográfica com escolas a mais de 100 km entre elas, mas o trabalho orientado por Paulo Barriga e Miguel Crespo, com o apoio especializado de Jacinto Godinho, reuniu todos os participantes num trabalho conjunto, em vídeo, sobre as questões relacionadas com a indisciplina na escola.

No Algarve os trabalhos desenvolvidos tiveram grande ligação à comunidade
Algarve 2019

Com apenas cinco manhãs de formação em Faro, os professores, guiados por Isabel Nery e Vitor Tomé, criaram sites de notícias, fizeram projetos de rádio e renovaram os sites e jornais escolares com a ajuda dos seus alunos (e nalguns casos, até dos pais).

O trabalho desenvolvido em Bragança foi muito focado no contexto escolar e social
Bragança 2019

A Oficina de Formação “Literacia dos media e jornalismo: práticas pedagógicas com os media e acerca dos media”, com a duração 40h (20h presenciais  e 20h trabalho autónomo), realizada em Bragança, decorreu na Escola Secundária de Emídio Garciacom os formadores Patrícia Posse e Daniel Catalão.

TESTEMUNHOS

“Trabalhámos em grupo, nem sempre na sala de aula, e só recorremos aos vários professores que trabalhavam connosco em último recurso. Publicámos textos no blogue da escola e aprendemos mais sobre as matérias de História e de Português”.

Iris Ferraz Sequeira - aluna, AE Santa Bárbara, Fânzeres

“Agora valorizo mais o trabalho dos jornalistas, pois pensava que era fácil, que estava tudo feito. O jornal “Ria Azul” não é só um jornal. É a consciência de todos. Ajudou muito à união da nossa turma. Há mais espírito de entreajuda. Antes, eu não conseguia falar em público e agora sou capaz”.

Iara de Sousa Baptista - aluna, AE João da Rosa, Olhão

“Começámos o projeto ‘Brigada de Notícias’ com o 5º Ano, articulado com a lógica da flexibilidade curricular e com a comunidade local. A ideia é continuá-lo com outros professores e alunos, alargando-o ao 3º Ciclo. Os alunos são os ‘brigadeiros’ que desconstroem mensagens media para perceberem como elas se constroem”.

Carla Martins - docente, AE de Azeitão

“Três professores de Português assumiram o projeto, sem tempo, sem uma turma para trabalharem e sem recursos. Tínhamos vontade de fazer um projeto e alunos com telemóvel. Chegámos a 23 alunos, de duas escolas, que decidiram avançar com uma página Instagram, projeto que foi aprovado pelo Conselho Pedagógico a 20 de março de 2019”.

Ana Mercedes Pescada - docente, AE de Caparica